quarta-feira, 29 de julho de 2015

UENF apoia Festival Doces Palavras


Texto e foto: Ascom da Uenf

O Festival Doces Palavras, que será realizado de 23 a 27/09/15 pela Academia Campista de Letras (ACL), Associação de Imprensa Campista (AIC) e Prefeitura de Campos, terá também o apoio da UENF. Foi o que ficou definido em reunião realizada na manhã desta quarta-feira, 29/07/15, na Reitoria da Universidade, com a presença de representantes das instituições e entidades envolvidas. Na reunião, foi acertada a utilização dos jardins da Casa de Cultura Villa Maria para a realização de algumas atividades do Festival.

Além do reitor da UENF, Silvério de Paiva Freitas, estiveram presentes os presidentes da ACL, Hélio Coelho;  da AIC, Vitor Menezes; e da Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos (Codemca), Wainer Teixeira; o diretor do Departamento de Multimídia e Cultura da Câmara, Wilson Heidenfelder; o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UENF, Paulo Nagipe; o diretor da Agência UENF de Inovação, Ronaldo Paranhos; e o diretor de Informação e Comunicação da UENF, Vanildo Silveira.

Segundo os organizadores, a ideia é que o Festival Doces Palavras venha a fazer parte do calendário cultural do município, a exemplo do que já ocorre com a Bienal do Livro. A proposta é fazer um evento mais voltado à cultura local, envolvendo tanto a parte de Literatura quanto a de produção de doces.

— A Bienal é um evento importante, porém é mais mercadológico. Queremos realizar algo menos engessado, com a marca da nossa sociedade — disse Hélio Coelho.

O reitor da UENF colocou a Casa de Cultura Villa Maria à disposição do evento, que também deverá utilizar outros espaços, como os prédios do Liceu e da Câmara, bem como o Jardim do Liceu.



quarta-feira, 22 de julho de 2015

Filme brasileiro neste sábado no Cine Jornalismo AIC

Imagem Ilustrativa: Reprodução You Tube

A Associação de Imprensa Campista (AIC) exibe neste sábado (25) mais um filme sobre jornalismo na 7ª Temporada do Projeto Cine Jornalismo AIC, desenvolvido desde 2009 e que em 2015 tem valorizado ainda mais o cinema brasileiro. O filme em cartaz neste sábado será o Doces Poderes, produzido no Brasil, dirigido pela cineasta Lúcia Murat e lançado em 1996.

O filme conta a história de Bia, interpretada pela atriz Marisa Orth, que é uma jornalista que chega a Brasília para assumir, durante o período eleitoral, a chefia da sucursal da principal rede de TV do país. A sinopse da produção conta que: “O antigo diretor está deixando o cargo para chefiar a campanha de um jovem candidato a governador, que é apoiado por políticos conservadores. Metade dos profissionais da sucursal também está deixando o local, pelos mais variados motivos, entre eles a crise econômica pela qual passa o país e a falta de perspectiva do fim do século. Através dos discursos dos funcionários que estão deixando a sucursal é exibido o desenvolvimento das campanhas e os conflitos vividos pelos personagens”.

Este será o terceiro filme brasileiro sobre jornalismo exibido só este ano pela AIC. Em março foi exibido Tim Lopes – Histórias de Arcanjo e em maio Mercado de Notícias. O comentarista desta vez será o presidente da AIC, jornalista e professor de jornalismo, Vitor Menezes, diretor do documentário Forró em Cambaíba. A exibição começa às 16 horas.

- Quando exibimos e discutimos filmes brasileiros naturalmente acontece uma identificação maior. Em Doces Poderes, o hibridismo entre cobertura de política e assessoria política é discutido de modo muito realista. O desencanto com o jornalismo e o jogo de interesses nos bastidores fazem pensar no papel e na legitimidade da profissão – comenta Vitor.

As exibições têm contado com a presença de estudantes do Curso de Jornalismo do Centro Universitário Fluminense (Uniflu), antiga Faculdade de Filosofia de Campos (Fafic). O projeto Cine Jornalismo AIC tem o objetivo de discutir o papel do jornalista na sociedade com a exibição de filmes que abordam a atividade profissional de jornalista. A entrada é gratuita e aberta para o público em geral, pessoas interessadas em jornalismo e/ou amantes do cinema.

domingo, 19 de julho de 2015

Nova diretoria da AIC para o triênio 2015-2018 toma posse

Membros da nova diretoria confraternizam com ex-presidentes e ex-diretora 
A nova diretoria da Associação de Imprensa Campista (AIC) tomou posse na sexta-feira (17) na sede da instituição, localizada na Rua Formosa. Na oportunidade, o presidente Vitor Menezes apresentou as ações da gestão de 2012 a 2015, com destaque para a participação com estande na 8ª Bienal do Livro de Campos, a manutenção da tradicional Semana da Imprensa até a sua 25ª edição, a volta do acervo do Jornal Monitor Campista para Campos em parceria com a Câmara de Vereadores de Campos, o lançamento do Festival Doces Palavras (FDP), em parceria com a Academia Campista de Letras (ACL) e a Prefeitura de Campos, a inserção pública em vários debates, como o do projeto do novo Mercado Municipal, a defesa dos jornalistas e do piso regional da categoria e a campanha pelo diploma.

Vitor anunciou que a missão da nova diretoria a curto prazo é realizar a 1ª edição do Festival Doces Palavras (FDP) em setembro no Jardim do Liceu. “Esperamos que seja um evento que se consolide, fique como herança da AIC e entre no calendário municipal”, afirmou o presidente da AIC.

A cerimônia de posse da nova diretoria da AIC contou ainda com o descerramento da galeria de fotos de ex-presidentes da entidade, que contou com a presença dos ex-presidentes Orávio de Campos Soares, Herbson Freitas e Hélio Gomes Cordeiro.

A nova diretoria da AIC é composta por: Vitor Menezes (presidente), Orávio de Campos Soares (vice presidente), Álvaro Marcos de Almeida Teles (diretor administrativo e financeiro), Wellington Cordeiro (diretor de cultura), Humberto Rangel (diretor de formação), Wesley Machado (diretor de comunicação), Alexandro Florentino (diretor de relacionamento estudantil), Ricardo André Vasconcelos (1º suplente), Wilson Renato Heidenfelder (2º suplente), Cilênio Tavares (3º suplente), Patrícia Bueno (4ª suplente) e Maurício Xexéo (5º suplente).

Inaugurada placa de tombamento do Gato Preto como patrimônio imaterial

Ao Gato Preto - Para terminar a noite festiva foi descerrada a placa do Bar Ao Gato Preto, que foi tombado como patrimônio imaterial numa proposta da AIC. O vice presidente da AIC e presidente do Conselho de Preservação do Patrimônio Arquitetônico Municipal (Coppam), Orávio de Campos comentou sobre a iniciativa.

- O Ao Gato Preto é romântico, é o mais tradicional boteco de Campos, um dos pontos mais atrativos desta cidade. É um ponto de encontro de pessoas que gostam de conversar sobre a vida, sobre a morte, sobre o esporte, tomando uma cerveja gelada ou uma cachacinha, que é cultura. Esta foi uma iniciativa da AIC na pessoa do diretor Wellington Cordeiro. É um ambiente que já vai se fazer centenário. Quantas gerações passaram por aqui – disse Orávio.

A homenagem com a inauguração da placa informativa da importância do Ao Gato Preto para a cultura de Campos teve seu ponto alto com o brinde após o descerramento da placa aos gritos de: “Viva o Gato Preto, Nosso Clube”!

Reportagem: Wesley Machado
Fotos: Divulgação AIC e Wellington Cordeiro

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Doces Palavras em setembro no Jardim do Liceu

Da Secom da PMCG

O Festival Doces Palavras, evento da Academia Campista de Letras (ACL), da Associação de Imprensa de Campista (AIC) e da Prefeitura de Campos, será realizado de 23 a 27 de setembro, no Jardim do Liceu.

Campistas e turistas poderão degustar e apreciar muito da arte gastronômica e literária do município. O FDP surge de uma parceria público-privada, que também conta com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima. Os detalhes do FDP estão sendo concluídos.

– Já temos uma Bienal do Livro no calendário municipal e, nos anos que a bienal não acontecer, passaremos a contar com o FDP, outro grande evento para tornar Campos referência em criação e produção literatura, já que nosso município tem tanto escritores, tantos poetas, tantos artistas. O FDP tem ainda, a proposta de divulgar os maravilhosos doces da gastronomia campista, doces tradicionais, parte de nossa cultura e que servirão de inspiração para a literatura do festival – declarou o presidente da Codemca, Wainer Teixeira.

O FDP será oficialmente aberto às 18h do dia 23 de setembro. “O festival será na Praça Barão do Rio Branco, no Jardim do Liceu de Humanidades de Campos, um espaço de importância histórica e cultural. Teremos apresentações culturais de artistas locais e oficinas. Será um espaço de pura cultura, que vai movimentar o turismo e a economia de Campos”, disse Wainer.

Edital de posse da diretoria 2015-2018


Ocorreu um erro neste gadget