sexta-feira, 29 de abril de 2011

“Cidade do Silêncio” no Cine Jornalismo deste sábado

Neste sábado (30), a Associação de Imprensa Campista (AIC) vai promover mais uma edição do “Cine Jornalismo” – desta vez, com o filme “Cidade do Silêncio” (EUA/Inglaterra, 2007). A exibição acontece a partir das 16h, na sede da entidade, seguida de comentários do jornalista Vitor Menezes.

– O filme é um daqueles que mais utilizam o jornalismo e personagens jornalistas para servir de fio condutor da narrativa do que propriamente um filme sobre jornalismo. Em todo caso, dá para reunir elementos da prática jornalística, especialmente sobre as coberturas estrangeiras e os locais de conflito. Possibilita também um debate acerca do mito do jornalista herói, que enfrenta tudo pela notícia e pela verdade, muito propagado pelo cinema e nem sempre correspondente à realidade – observa Vitor.

Sinopse - Graças ao Tratado de Livre Comércio, empresas do mundo inteiro montaram fábricas no México, na fronteira com os Estados Unidos. Com mão-de-obra barata e isenção de impostos, estas companhias fabricam produtos a baixo custo, que são vendidos nos EUA. Nas mais de mil fábricas de Juarez, um televisor é fabricado a cada três segundos e um computador, a cada sete. As fábricas contratam mulheres, que aceitam salários menores e reclamam menos dos expedientes longos e condições ruins de trabalho. Muitas fábricas operam 24 horas por dia.

Muitas mulheres são atacadas e mortas a caminho do trabalho, pois as companhias não garantem a segurança dos funcionários. Com este quadro, o editor-chefe do Chicago Sentinel, George Morgan (Martin Sheen), envia a repórter Lauren Adrian (Jennifer Lopez), que só aceita fazer a pauta, vislumbrando uma possibilidade de virar correspondente estrangeira.

Ao chegar, ela entra em contato com um repórter com quem já trabalhou, Alfonso Diaz (Antonio Banderas), que agora é o editor de El Sol, um jornal que não aceita a "versão oficial" sobre as mortes que acontecem na região. Diaz diz para Lauren que 375 mortes é só mais uma mentira da polícia, pois na verdade quase 5 mil mulheres já morreram. A situação fica muito tensa quando uma jovem de 16 anos, Eva Jimenez (Maya Zapata), é atacada. Seus agressores pensavam que estava morta... Lauren faz tudo para protegê-la, inclusive da polícia, mas alguns não ligam a mínima para a situação de Eva e das mulheres de Juárez.


A programação completa de 2011 pode ser conferida aqui.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Ocorreu um erro neste gadget