terça-feira, 21 de agosto de 2012

Cine Jornalismo neste sábado na AIC


Neste sábado (25), acontece a edição de agosto do Cine Jornalismo da Associação de Imprensa Campista (AIC), a partir das 16h e com entrada franca, na sede da entidade. E o filme da vez é o documentário britânico, “Muito Além do Cidadão Kane”. Após a exibição, haverá um bate-papo com o jornalista e cineasta Alexandro Florentino.

O filme de Simon Hartog, exibido em 1993 pelo Channel 4, uma rede televisiva pública do Reino Unido, mostra as relações entre a mídia e o poder do Brasil – onde foi proibido desde a estréia, por ordem judicial, por se tratar das relações sombrias entre a Rede Globo, na pessoa de Roberto Marinho, com o cenário político brasileiro. O documentário traz depoimentos de Leonel Brizola, Chico Buarque, Dias Gomes, Lula, Antônio Carlos Magalhães, Roberto Marinho, Washington Olivetto entre outros.

O Cine Jornalismo é aberto a todas as pessoas interessadas em debater o papel da mídia e tem como objetivo, discutir a profissão a partir do filme. A AIC fica na Rua Tenente Coronel Cardoso (Rua Formosa), 460, Centro, Campos.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

AIC lamenta morte de Aluysio Cardoso Barbosa

A Associação de Imprensa Campista lamenta a morte, hoje, aos 76 anos, do jornalista Aluysio Cardoso Barbosa. Repórter de “A Notícia” e do “Jornal do Brasil” nos anos 60 e 70, o jornalista contribuiu para a modernização da reportagem em Campos dos Goytacazes com a fundação, em 1978, do jornal "Folha da Manhã", um veículo que inovou em vários aspectos gráficos e editoriais e foi uma escola de jornalismo para muitos dos profissionais que estiveram sob comando do “Seu Aluysio”, como era carinhosamente chamado.

A tradicional entidade dos jornalistas campistas está em luto e manifesta as suas condolências aos familiares, amigos e a todos os que conviveram mais proximamente com Aluysio Cardoso Barbosa.

Campos dos Goytacazes, 15 de Agosto de 2012
Diretoria da AIC

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Clipping: Jornalistas de Campos avaliam a aprovação da obrigatoriedade do diploma


Do Jornal Online Terceira Via
Link para publicação original:
http://www.jornalterceiravia.com.br/noticias/campos_e_regiao/2454/jornalistas_de_campos_avaliam_a_aprovacao_da_obrigatoriedade_do_diploma...


09/08/2012 - 19:36:22

Jornalistas de Campos avaliam a aprovação da obrigatoriedade do diploma

PEC foi aprovada pelo Senado depois da decisão do STF que, em 2009, derrubou a exigência 

A Federação Nacional dos Jornalistas comemorou a decisão do Senado em defesa da categoria. Na noite de terça-feira (7 de agosto), 60 senadores contra quatro aprovaram em 2º turno a Proposta de Emenda à Constituição, a PEC 33/09, de autoria do deputado Paulo Pimenta e relatoria do deputado Maurício Rands, que restabelece a exigência do diploma de curso superior em Jornalismo como condição para o exercício profissional.

Com a aprovação, o Senado apoia a luta dos jornalistas, representados por entidades de classe, e da sociedade, que discordaram da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Em 17 de 2009 o tribunal aprovou o fim da exigência do diploma para acesso à profissão. A decisão permitiu que qualquer cidadão, sem formação acadêmica, possa exercer a profissão de jornalismo.

Para a Fenaj, depois de 1969, quando foi instituída, a exigência do diploma contribuiu para modificar a qualidade do Jornalismo brasileiro, representando uma das garantias ao direito à informação independente e plural, condição indispensável para a verdadeira democracia. A decisão da maior corte de Justiça representou um retrocesso não somente para a categoria dos jornalistas, mas para toda a sociedade brasileira, que perde com a desqualificação do Jornalismo.

O presidente da Associação de Imprensa Campista, Vitor Menezes, considerou positiva
a aprovação do Senado uma reivindicação de três anos da categoria. “Os sindicatos e associações comemoram a prática da exigência do diploma de jornalista. Sei que ainda é uma trajetória longa até a conclusão do processo. É importante reconhecer que o diploma favorece o exercício da profissão e a democracia no país” disse o presidente da AIC.

A empresária de comunicação e professora universitária, Patrícia Daldegan, também
comemora. “É uma vitória importante. O jornalista por formação é o que melhor exerce
a profissão. Sei que a ética não está atrelada ao diploma. Mas, os profissionais formados recebem , na faculdade, conhecimentos humanísticos que vão além da técnica. Com o ensino superior, o aluno melhora o senso crítico que é fundamental na profissão. O diploma pode contribuir para garantir mais qualidade ao jornalismo” defendeu Patrícia Daldegan.

A aprovação da PEC não veio sem polêmica. O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) lembrou que o STF julgou inconstitucional a exigência do diploma. Para o senador, a decisão do STF mostra que a atividade do jornalismo é estreitamente vinculada à liberdade de expressão e deve ser limitada apenas em casos excepcionais.

“Em nome da liberdade de expressão e da atividade jornalística, que comporta várias
formações profissionais, sou contra essa medida” disse o senador.

Já as senadoras Ana Amélia (PP-RS) e Lúcia Vânia (PSDB-GO) disseram que se sentiam honradas por serem formadas em jornalismo. Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), “a aprovação da PEC significa garantir maior qualidade para o jornalismo brasileiro”.

A estudante do oitavo período do curso de jornalismo em Campos, Ahyunne Goulart de Ávila, diz que se sente um pouco aliviada com a aprovação da Pec pelo Senado. "Já estou no último ano, e tenho receio de concluir o curso e não ter mais a exigência do diploma. Seria um tempo perdido? Acho fundamental o diploma para qualificar o profissional. Essa discussão não deveria existir" conclui a universitária.

A  matéria que reestabelece a exigência do diploma para o jornalista vai ser analisada por comissões e pelo plenário na Câmara dos Deputados, em Brasília. Se não sofrer alterações, seguirá para a sanção presidencial. Caso contrário, retornará para revisão final do Senado.

Fonte: Com informações da Agência Senado e Fenaj.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Benefícios para os associados


           Firmar parcerias que tragam benefícios para os sócios. Esta é uma das metas da nova diretoria da AIC, que atualmente oferece três convênios de desconto. Porém, para usufruí-los, o sócio deve estar em dia com o pagamento da semestralidade, que custa R$ 30. Mais informações, pelo telefone: 2722 7372 ou na secretaria da entidade, de 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. Abaixo, os convênios:

SESI - Sócios da AIC ganham 10% de desconto nos serviços odontológicos e médicos: cardiologia, clínica, ortopedia, oftalmologia, dermatologia, fisioterapia, ginecologia e otorrinolaringologia. O preço normal da consulta médica é R$ 42,90, mas com o desconto, o valor cai para R$ 38,60. Já a consulta inicial odontológica sai por R$ 27,50 (o normal, sem o desconto, é de R$ 30,50). O convênio prevê, também, desconto de 30% para o profissional da imprensa que desejar ser sócio do Sesi – podendo usufruir das dependências do clube em todo o estado do Rio (quadras, piscina, área de lazer, academia, programação cultural). A mensalidade do Sesi é de R$ 23,50 (individual) ou R$ 47,50 (familiar). Com o convênio, o associado da AIC paga R$ 16,00 (individual) ou R$ 33,50 (familiar). Mais informações: 0800-0231231

MBA - A AIC firmou acordo com a Faculdade Redentor para desconto no MBA em Comunicação Corporativa Integrada, que estava programado para acontecer em Itaperuana, mas foi transferido para Campos. O curso vai começar no dia 18 de agosto e as inscrições estão abertas. A mensalidade é de R$ 320, mas os sócios da AIC pagarão R$ 290. Em Campos, a Redentor funciona no Externato Campista. Mais informações: (22) 3811-0111.

REMÉDIOS – A AIC também fechou convênio com a rede de farmácias Vieira, que vai conceder desconto de 10% na compra de medicamentos. 
Ocorreu um erro neste gadget