terça-feira, 21 de agosto de 2018

Nota de Pesar


A Associação de Imprensa Campista registra com pesar o falecimento, nesta terça-feira (21) do radialista e músico José Barbosa Guilherme, aos 83 anos. Ele estava internado no Hospital Ferreira Machado desde o dia 5 de maio, vítima de pneumonia.


O corpo será velado numa capela do Cemitério Campo da Paz, onde ocorrerá o sepultamento, nesta quarta-feira (22).

A AIC se solidariza com sua família e amigos.




Biografia:

José Barbosa Guilherme
Nascimento:  8/6/1935 - Baixo Guandu, ES.
Falecimento: 21/08/2018 – Campos dos Goytacazes - RJ

Em 1959, foi para a cidade de Campos dos Goytacazes, para se apresentar ao lado do cantor Agostinho dos Santos, no Cine Teatro Trianon. Acabou ficando na cidade de Campos, morando provisoriamente nos altos do antigo Cine Teatro Trianon, onde também funcionava a Publinews, do publicitário Hernon Viana que em companhia de Carlos Rodrigues da Silva acabam por integrá-lo à Rádio Jornal Fluminense, onde trabalharia como músico e como locutor num programa de entrevistas.
Atuou também na Rádio Cultura de Campos, apresentando-se como cantor nos programas "Castelo do espaço",  no programa de José Sales, "Gurilândia" , e em programas de auditório nos domingos à noite e também às segundas-feiras. Na Rádio Cultura de Campos, criou o regional "Barbosa e sua gente", onde se apresentava ao lado do clarinetista Aino Braga, Abelardo Filho, Rosindo Monteiro, e Reginaldo Vasconcelos, entre outros. Ao mesmo tempo, atuou como músico no Clube de Regatas Saldanha da Gama. Apresentou-se também no "Programa Rádio Variedades", de Aino Braga, no "Recreio do Guri", de Diógenes Manhães e no "Show da Cidade", de Herval Manhães de Azevedo, todos na Rádio Campista Afonsiana.
Além de cantor e compositor, acompanhou  como instrumentista, vários cantores em apresentações de shows e gravações de estúdio, como Nelson Gonçalves, Emilinha Borba, Araci de Almeida, Dalva de Oliveira, Agnaldo Timóteo, além de Agostinho dos Santos, quando este fez uma apresentação no Tênis Clube de Campos. Como locutor criou os programas "Tempo livre" e "De conversa em conversa" na Rádio Cultura de Campos, onde apresentou crônicas improvisadas no ar, com abordagem a assuntos da atualidade da cidade e do país, como conselhos de cunho social e existencial. Em 1960, foi contratado pela CBS e no ano seguinte lançou seu primeiro LP, com o título de "Roteiro da vida", com arranjos e direção do Maestro Britinho.
Em 1971, embarcou no navio "Ana Nery" com destino a Portugal, tendo se apresentado como cantor durante a excursão e se apresentou também em Lisboa. No mesmo ano, lançou pela Tapecar um compacto simples com "Navio branco" e o tango "O assalto", de sua autoria que contou com acompanhamento do bandolinista Ubirajara Chalar da Silva, com quem passaria a tocar em acompanhamento de inúmeras gravações na Tapecar. Ao longo de sua carreira, esteve presente em programas de grande audiência no Rádio e na TV tendo atuado em programas da Radio Nacional, de Paulo Gracindo, na Radio Mayrink Veiga, com Fernando César no "Show da casa Neno", na Rádio Tupi, TV Tupi, e TV Excelsior. É autor do hino do Goitacaz Futebol Clube, de Campos dos Goytacazes. Em 2005, apresentou-se no Teatro de Bolso de Campos, dentro do Projeto "Ouro da Terra", da Fundação Teatro Municipal Trianon, onde foi homenageado por um grande público. Seu período de maior atuação foi durante a década de 1960, quando lançou cinco LPs pela CBS sempre interpretando temas românticos.

Fonte: http://dicionariompb.com.br/jose-barbosa/dados-artisticos

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Homenagem da UENF

A Associação de Imprensa Campista foi homenageada nesta quinta-feira (16), durante Sessão Solene do Conselho Universitário da UENF (CONSUNI), no Centro de Convenções pela passagem dos 25 anos da universidade. Foi uma honra imensa ter recebido o diploma das mãos do Reitor Luís Passoni. A UENF se fez presente em grandes parceiras com a AIC, destacadamente nas duas edições do Festival Doces Palavras. Vida longa à UENF.




terça-feira, 14 de agosto de 2018

Arraia do Monitor na AIC


A Associação de Imprensa Campista realizou na sexta-feira (10/09), o Arraia do Monitor na AIC. O evento foi concebido numa parceria da Associação com um grupo de ex-funcionários do extinto jornal Monitor Campista. A proposta foi manter o nome do jornal em evidência para que a população não se esqueça deste importante órgão de comunicação que foi fechado no ano de 2009. A AIC desde então vem buscando ações em prol, não só da memória do jornal, mas, também, na possibilidade de retomada da sua produção.

A festa caipira cumpriu seu objetivo ao reunir, não só os antigos funcionários do jornal, como também, jornalistas de outros meios de comunicação e, também, pessoas da comunidade em geral. Além disso, o evento teve seu caráter colaborativo, já que toda a renda angariada, será revertida para reformas no prédio da Associação.

Diante do sucesso do Arraia, foram muitos os pedidos de realização de outras festas no local. A diretoria vai estudar esta proposta, para quem sabe produzir um calendário de eventos até o final do ano.  














































































































Nota de Pesar

A Associação de Imprensa Campista registra com pesar o falecimento, nesta terça-feira (21) do radialista e músico José Barbosa Guilherme, ...