terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Militância Cultural se reúne nesta quarta-feira na AIC

O 1º Encontro de Cultura “A sociedade dialogando para ampliação dos horizontes culturais de nossa região” faz parte da conduta de diálogo com os agentes culturais, ativistas.

O jornalista Bruno Costa é o representante no CEPC

A Associação de Imprensa Campista (AIC) abre suas portas nesta quarta-feira (09), às 19 horas, para uma reunião entre os ativistas da cultura de Campos dos Goytacazes e o representante da região Norte Fluminense no Conselho Estadual de Política Cultural, Bruno Costa, recentemente eleito durante a Conferência Regional de Cultura, em Macaé, tendo com suplente a macaense, Dilma Negreiros.
O 1º Encontro de Cultura “A sociedade dialogando para ampliação dos horizontes culturais de nossa região” faz parte da conduta de diálogo com os agentes culturais, ativistas, pesquisadores, conselheiros municipais, gestores e comissões legislativas municipais do Norte Fluminense com o intuito de formatar propostas e ações que serão debatidas no Conselho Estadual de Política Cultural.
“A ideia é compormos propostas que conduzam a região a um patamar bem elevado dentro do contexto cultural. Potencialidade e arte não nos faltam. Fui eleito para ser um elo entre os anseios da sociedade e o Conselho Estadual. É preciso dialogar incessantemente com todos para que possamos dividir responsabilidade e termos alicerce, sempre buscando potencializar as políticas culturais para nossa região”, relata Bruno Costa.
Segundo Wellington Cordeiro, diretor de cultura da AIC, a instituição sempre teve seus olhos voltados para a promoção da Cultura porque é uma associação que congrega uma classe que possui grandes vínculos culturais. “Os jornalistas que passam pela entidade, invariavelmente também são escritores, teatrólogos, poetas, entre outras atividades artísticas. Enquanto entidade cumpre seu modesto papel de promoção da diversidade cultural, seja promovendo eventos em sua sede, propondo grandes eventos externos, como aconteceu na produção do Festival Doces Palavras – FDP”, acentua Cordeiro.
Wellington acrescenta que há muito interesse em fomentar a Cultura de Campos e não poderia deixar de abraçar essa possibilidade de desenvolvimento com a instituição de um representante da região no Conselho Estadual de Política Cultural. “Isso que nos motivou a acolher este encontro que será de suma importância para que a questão cultural possa ser discutida em alto nível e apartidariamente”, frisa.
Com atuação em arte-educação, teatro, artes visuais e produção cultural, Anna Franthesca compactua e ratifica o movimento.  “Este momento é de suma importância para os agentes culturais de todos os municípios do Norte Fluminense, pois sua representação no Conselho Estadual permite o diálogo da sociedade civil e poder público de forma flexível e estratégica, possibilitando novos meios de participação ativa na formação de políticas públicas de cultura no estado do Rio de Janeiro.

Fonte: Jornal Quotidiano
Ocorreu um erro neste gadget