sábado, 29 de agosto de 2009

Clipping: AIC na imprensa

Abraços para os coleguinhas de O Diário e do Monitor Campista, que deram matérias sobre a edição de hoje do Cine Jornalismo AIC.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

‘Mera Coincidência’ no Cine Jornalismo da AIC neste sábado

Foto: http://www.newline.com
A edição de agosto do Cine Jornalismo da AIC será com o filme ‘Mera Coincidência’ (EUA, 1997). A exibição será neste sábado, dia 29, às 16h, no auditório da Associação de Imprensa Campista (Rua Tenente Coronel Cardoso, 460, Centro), seguida de bate-papo com o jornalista João Ventura. A entrada é franca.
Na trama, a poucos dias antes da eleição, o presidente dos Estados Unidos (Michael Belson), se vê envolvido em um escândalo sexual e, diante deste quadro, não vê muita chance de ser reeleito. Assim, um dos seus assessores entra em contato com um produtor de Hollywood (Dustin Hoffman) para que este "invente" uma guerra na Albânia, na qual o presidente poderia ajudar a terminar, além de desviar a atenção pública para outro fato bem mais apropriado para interesses eleitoreiros.
Os filmes selecionados para o projeto (que começou em março e segue até novembro) sugerem infinitas possibilidades de temas ou associação de temas, como a questão da ética, o cotidiano desgastante da profissão, o desencanto com a atividade, à pressão do poder e da censura.
Idealizado pelo vice-presidente da AIC, Vitor Menezes, o Cine Jornalismo, foi pensado com a proposta de criar uma data e um local aonde, a pretexto de assistir a um filme sobre jornalismo, jornalistas, estudantes de jornalismo e demais interessados discutam não necessariamente o filme em si mesmo, mas a própria profissão, a partir dos temas que o filme levanta.


Filme Mera coincidência
Dia 29/08 - 16h
Auditório da Associação de Imprensa Campista — Rua Tenente Coronel Cardoso, 460, Centro.
Entrada franca

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Primeira reunião sobre a Conferência de Comunicação é realizada em Campos

Fotos: Wellington Cordeiro

Representantes de diversas entidades do município se reuniram no último sábado (22) no auditório da Associação de Imprensa Campista (AIC). O encontro contou com a presença da representante do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Beth Costa (foto abaixo), e da representante do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, Sônia Gomes.

Na ocasião, o público pôde conhecer melhor o trabalho do FNDC e também como está sendo articulada a Conferência Nacional de Comunicação, que será realizada nos dias 01, 02 e 03 de dezembro, em Brasília. “A ideia é que esta conferência seja o mais plural possível e esperamos reunir todos os segmentos da sociedade. Precisamos colocar o que realmente a gente quer como resultado desta conferência”, comentou Beth.

Participaram do encontro, jornalistas e representantes do Instituto de Desenvolvimento Afro Norte-Noroeste Fluminense, do Sindicato do Saneamento do Norte e Noroeste Fluminense, da Academia Campista de Letras, da Prefeitura de Quissamã, da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Federação das Associações de Moradores de Campos.

O evento foi uma iniciativa da Comissão Organizadora da 1ª. Conferência de Comunicação do Norte Fluminense (que acontece nos dias 11 e 12 de setembro em Macaé).

O objetivo é aprofundar o debate e a reflexão sobre a reestruturação das leis que regem a comunicação no Brasil, há muito não aplicadas e obsoletas, discutir a questão das concessões de rádio e TV, a democratização nos meios de comunicação, canais comunitários, TV Digital, internet, telecomunicações, construção e consolidação de políticas públicas de Comunicação locais, estaduais e nacionais, entre outros temas.

A caminho da Confecom-NF: Profissionais de comunicação discutem que conferência querem

Foto: Fernanda Viseu/Divulgação Atracom














Release da ATRACOM


Cerca de 20 pessoas participaram do encontro na tarde de sábado, no teatro do Sindicato dos Petroleiros em Macaé da discussão com objetivo de iniciar as mobilizações para a 1ª Conferência de Comunicação do Norte Fluminense. Com a presença de uma representante da Federação Nacional dos Jornalistas Sônia Gomes e de outra do Fórum de Nacional de Democratização da Comunicação, Beth Costa. Durante três horas os profissionais da comunicação da região puderam esclarecer dúvidas sobre os caminhos para a CONFECOM-NF a partir do tema: “Que Conferência de Comunicação queremos”.

A abertura da atividade foi feita pelo diretor do Sindipetro-NF Valdik Oliveira, que reafirmou a disposição do Sindicato dos Petroleiros em apoiar e discutir as questões da comunicação no Brasil. “A comunicação brasileira deve ser discutida e nós queremos participar deste que é o primeiro momento que a população do Brasil poderá dizer o que pensa da comunicação”, disse o diretor.

Logo após, Marcel Silvano, representando a Atracom – Associação dos Trabalhadores em Comunicação de Macaé deu as boas vindas às duas convidadas e fez um breve histórico desta mobilização macaense e ainda associou a crise de representação política do Brasil à necessidade de outra comunicação. “Sabemos que esta discussão está se desenvolvendo no país há algum tempo. Mas aqui, o debate começou a tomar forma após a decisão sobre o diploma, que não é mais obrigatório para o exercício da profissão. Mas em momentos como o que vivemos, especialmente essa última semana, a crise de representação, é fundamental pensarmos uma comunicação plural, democrática e que garanta liberdade de expressão”, pontuou Marcel. O jornalista Vitor Menezes, de Campos veio par dizer como andam as mobilizações por lá. “Estamos mobilizando, tivemos um encontro como esse e entendemos que é necessário discutir regionalmente a comunicação, por isso estaremos empenhados na conferência do Norte Fluminense. Não dá mais para tratar a região separada”, disse Vitor que também é professor.

Com a palavra, a representante da Fenaj Sônia Gomes disse que o esforço dos movimentos sociais é que a Conferência seja com todos os setores envolvidos, trabalhadores e sociedade civil, governo e iniciativa privada, mas essa proposta tem dificuldades nacionalmente. “As associações de proprietários têm se esforçado para não deixar a conferência acontecer, mesmo após decreto do governo convocando. Agora se retiraram da preparação da Conferência”, informou.

Já Beth Costa do Fórum Nacional de Democratização da Comunicação trouxe as experiências da preparação a nível nacional e estadual e ressaltou que a conferência está mobilizando os movimentos sociais de todo o país que querem a comunicação mais regionalizada, democrática e plural. Falou da necessidade de discutir a função das TV´s públicas, da criação de conselhos de comunicação social em âmbitos municipal, estadual e nacional e ainda o papel das rádios e tv´s comunitárias para a sociedade. “Há todo um esforço por parte d sociedade civil e do Governo Federal para a realização desta conferência. Ela vai acontecer, já tem datas marcadas, porém é fundamental que todos participem inclusive o setor privado. Às vezes não avançamos porque não há a discussão necessária e correta, esse é o momento”, falou Beth.

Uma deliberação do encontro foi que a Comissão Pró-CONFECOM/NF procurará o Prefeito de Macaé para convocar a Conferência Municipal, visto que a vontade de todos é realizá-la na cidade.

O que é a Conferência de Comunicação?

A 1ª. Conferência de Comunicação do Norte Fluminense acontece nos dias 11 e 12 de setembro em Macaé, em local ainda a ser confirmado. O objetivo da Conferência é aprofundar o debate e reflexão sobre a reestruturação das leis que regem a comunicação no Brasil, há muito não aplicadas e obsoletas, discutir a questão das concessões de rádio e Tv, a democratização nos meios de comunicação, canais comunitários, Tv digital, internet, telecomunicações, construção e consolidação de políticas públicas de Comunicação locais, estaduais e nacionais, entre outros temas.

Na Conferência também serão eleitos de delegados para participar da Conferência Estadual e depois da Conferência Nacional de Comunicação convocada pelo Governo Federal para os dias 1, 2 e 3 de dezembro em Brasília.

Fazem parte da Comissão Organizadora da 1ª. Conferência de Comunicação do Norte Fluminense a Associação dos Trabalhadores em Comunicação de Macaé, o Sindipetro-NF, Associação de Imprensa Campista, Pastoral da Comunicação de Macaé, Fórum Nacional de Professores de Jornalismo e Mandato do Vereador Danilo Funke.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Palestras preparam entidades para Conferência de Comunicação

No próximo sábado, dia 22, acontecem, às 10h, em Campos, e às 15h, em Macaé, palestras com o tema “Que Conferência de Comunicação queremos”. O evento em Campos será no auditório da Associação de Imprensa Campista (AIC), e em Macaé, no Teatro do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF). A iniciativa é da Comissão Organizadora da 1ª. Conferência de Comunicação do Norte Fluminense e contará com a participação da representante do Fórum Nacional de Democratização da Comunicação (FNDC), Beth Costa, e da representante da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sônia Gomes.
— Convidamos todas as entidades organizadas da sociedade civil dos municípios da região para que enviem pelo menos um representante para essa palestra. Nosso objetivo é instrumentalizar a sociedade civil organizada para participar da Conferência do Norte Fluminense — afirma a jornalista Fernanda Viseu, membro da Comissão Organizadora da 1ª. Conferência de Comunicação do Norte Fluminense.
A 1ª. Conferência de Comunicação do Norte Fluminense acontece nos dias 11 e 12 de setembro em Macaé, em local ainda a ser confirmado. O objetivo é aprofundar o debate e a reflexão sobre a reestruturação das leis que regem a comunicação no Brasil, há muito não aplicadas e obsoletas, discutir a questão das concessões de rádio e TV, a democratização nos meios de comunicação, canais comunitários, TV Digital, internet, telecomunicações, construção e consolidação de políticas públicas de Comunicação locais, estaduais e nacionais, entre outros temas.
Na Conferência também serão eleitos de delegados para participar da Conferência Estadual e depois da Conferência Nacional de Comunicação, convocada pelo Governo Federal para os dias 1, 2 e 3 de dezembro em Brasília.
Inicialmente, fazem parte da Comissão Organizadora da 1ª. Conferência de Comunicação do Norte Fluminense a Associação dos Trabalhadores em Comunicação de Macaé (Atracom), o Sindipetro-NF, Associação de Imprensa Campista (AIC), a Pastoral da Comunicação de Macaé, o Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ) e o Sindicato dos Jornalistas do Estado do Rio de Janeiro.

AIC no Monitor de hoje

O Monitor Campista publica hoje matéria sobre a edição de agosto do Cine Jornalismo AIC, no dia 29, às 16h, que exibirá o filme "Mera Coincidência", com comentários do jornalista João Ventura. Abração para o pessoal da redação!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Semana da Imprensa

Em função da nova gripe, a Associação de Imprensa Campista (AIC) informa que adiou para o período de 20 a 26 de setembro a 19ª Semana da Imprensa. O evento aconteceria entre os dias 23 e 29 deste mês, mas em função do adiamento do retorno às aulas, não haveria tempo hábil para divulgar a programação entre os alunos, ficando curto o prazo de inscrições para as oficinas, que acontecerão na Faculdade de Filosofia de Campos.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Prêmio Esso de Jornalismo - inscrições até sábado

Terminam neste sábado, dia 15, as inscrições para a 54ª edição do Prêmio Esso de Jornalismo. Podem participar, jornalistas de todo o Brasil com trabalhos publicados na Imprensa ou veiculados nas emissoras de televisão brasileiras, no período entre 1º de setembro de 2008 e 15 de agosto deste ano. Ao todo, estarão em disputa 11 categorias de mídia impressa, além do Prêmio Esso de Telejornalismo e do Prêmio Principal que recebe o nome do programa. Um total de R$ 109 mil, já descontado o imposto de renda, está destinado à premiação dos vencedores. Mais informações, aqui: www.premioesso.com.br

terça-feira, 4 de agosto de 2009

AIC ganha obras do escritor Waldir de Carvalho

Parabéns à família do escritor Waldir Pinto de Carvalho, que teve a brilhante iniciativa de doar exemplares dos livros do ilustre campista a algumas entidades do município. Nesta semana, a filha do escritor, Walnize Carvalho, presenteou a Associação de Imprensa Campista com os seguintes títulos:

O escravo cirurgião (novela) - 1988

O sorteado (romance) - 1994

A roda dos expostos (romance) - 1994

Campos depois do Centenário (volume 2) - 1995

Até que chegue a primavera (novela e contos) - 1997

Campos depois do Centenário (volume 3 – 2ª edição) - 2000

Se não me trai a memória (autobiografia) - 2003

As obras estão na biblioteca da AIC e poderão ser utilizadas por seus sócios para consultas. Segundo Walnize, a iniciativa tem por finalidade, preservar a memória do escritor, que também marcou seu nome como historiador, radialista, poeta, acadêmico, advogado, alfaiate e primeiro radionovelista de Campos. Waldir de Carvalho nasceu no dia 27 de julho de 1923 e partiu desta vida em 31 de dezembro de 2007.

(Foto: Antônio Leudo)
Ocorreu um erro neste gadget