domingo, 19 de julho de 2015

Nova diretoria da AIC para o triênio 2015-2018 toma posse

Membros da nova diretoria confraternizam com ex-presidentes e ex-diretora 
A nova diretoria da Associação de Imprensa Campista (AIC) tomou posse na sexta-feira (17) na sede da instituição, localizada na Rua Formosa. Na oportunidade, o presidente Vitor Menezes apresentou as ações da gestão de 2012 a 2015, com destaque para a participação com estande na 8ª Bienal do Livro de Campos, a manutenção da tradicional Semana da Imprensa até a sua 25ª edição, a volta do acervo do Jornal Monitor Campista para Campos em parceria com a Câmara de Vereadores de Campos, o lançamento do Festival Doces Palavras (FDP), em parceria com a Academia Campista de Letras (ACL) e a Prefeitura de Campos, a inserção pública em vários debates, como o do projeto do novo Mercado Municipal, a defesa dos jornalistas e do piso regional da categoria e a campanha pelo diploma.

Vitor anunciou que a missão da nova diretoria a curto prazo é realizar a 1ª edição do Festival Doces Palavras (FDP) em setembro no Jardim do Liceu. “Esperamos que seja um evento que se consolide, fique como herança da AIC e entre no calendário municipal”, afirmou o presidente da AIC.

A cerimônia de posse da nova diretoria da AIC contou ainda com o descerramento da galeria de fotos de ex-presidentes da entidade, que contou com a presença dos ex-presidentes Orávio de Campos Soares, Herbson Freitas e Hélio Gomes Cordeiro.

A nova diretoria da AIC é composta por: Vitor Menezes (presidente), Orávio de Campos Soares (vice presidente), Álvaro Marcos de Almeida Teles (diretor administrativo e financeiro), Wellington Cordeiro (diretor de cultura), Humberto Rangel (diretor de formação), Wesley Machado (diretor de comunicação), Alexandro Florentino (diretor de relacionamento estudantil), Ricardo André Vasconcelos (1º suplente), Wilson Renato Heidenfelder (2º suplente), Cilênio Tavares (3º suplente), Patrícia Bueno (4ª suplente) e Maurício Xexéo (5º suplente).

Inaugurada placa de tombamento do Gato Preto como patrimônio imaterial

Ao Gato Preto - Para terminar a noite festiva foi descerrada a placa do Bar Ao Gato Preto, que foi tombado como patrimônio imaterial numa proposta da AIC. O vice presidente da AIC e presidente do Conselho de Preservação do Patrimônio Arquitetônico Municipal (Coppam), Orávio de Campos comentou sobre a iniciativa.

- O Ao Gato Preto é romântico, é o mais tradicional boteco de Campos, um dos pontos mais atrativos desta cidade. É um ponto de encontro de pessoas que gostam de conversar sobre a vida, sobre a morte, sobre o esporte, tomando uma cerveja gelada ou uma cachacinha, que é cultura. Esta foi uma iniciativa da AIC na pessoa do diretor Wellington Cordeiro. É um ambiente que já vai se fazer centenário. Quantas gerações passaram por aqui – disse Orávio.

A homenagem com a inauguração da placa informativa da importância do Ao Gato Preto para a cultura de Campos teve seu ponto alto com o brinde após o descerramento da placa aos gritos de: “Viva o Gato Preto, Nosso Clube”!

Reportagem: Wesley Machado
Fotos: Divulgação AIC e Wellington Cordeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget