sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A AIC é das mulheres!

Fotos: Divulgação, Antônio Cruz/ Folha da Manhã, Vitor Menezes  e Wesley Machado
 Filme aborda Guerra dos Sexos na Redação
Neste sábado (27), às 16 horas, a Associação de Imprensa Campista, realiza mais uma edição do Projeto Cine Jornalismo. Na oportunidade será exibido o filme “Jejum de Amor”, dirigido pelo cineasta norte-americano Howard Hawks (1896-1977) e lançado no ano de 1940. Howard Hawks ficou famoso pelo filme de aventura “Hatari!”(1962). Ele também dirigiu alguns faroestes, como Rio Vermelho (1948).

Em “Jejum de Amor”, Walter Burns (Cary Grant), editor de um grande jornal de Chicago, está prestes a ver sua ex-esposa e repórter casando-se novamente, agora com um corretor de seguros. Mas antes ele quer vê-la escrevendo uma última grande história. Ou talvez queira tentar reconquistá-la. Com 92 minutos de duração, o filme é uma comédia ágil, veloz e dinâmica.

São vários os filmes que mostram as relações conflitantes e amorosas entre homens e mulheres jornalistas, como “Ele disse, Ela disse” (1991), com Kevin Bacon, Elizabeth Perkins e Sharon Stone; e Adoro Problemas (2004), com Julia Roberts e Nick Nolte; que deverão estar na edição 2013 do Cine Jornalismo AIC.

Para comentar o filme deste sábado foi convidada a jornalista caxiense radicada em Campos, Talita Barros, que pretende pesquisar sobre “A representação da mulher brasileira na imprensa da pós-modernidade” no mestrado em Cognição e Linguagem da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF).


Talita afirma nunca ter se visto na profissão sob um viés sexista. “As mulheres começaram a ocupar um espaço maior nas redações na década de 1960 e elas foram se firmando no meio. Claro que ainda não na mesma proporção que os homens. A forma pela qual me enxergo como jornalista é muito mais sob o prisma da responsabilidade com que desejo levar minha carreira e do orgulho de ser jornalista”, disse Talita.


Ela fala sobre o que é ser jornalista para ela. “Ser jornalista é desenvolver a capacidade de ouvir muito e de enxergar o cotidiano de um modo não comum, ultrapassar as águas rasas e desvendar discursos. É saber esmiuçar cada palavra do outro. E isso é uma constante, nunca se está pronto nisso. É ser maleável com as palavras e duro também. E é a possibilidade de se expor, não só ser ‘uma formadora de opinião’, mas estar vulnerável à opinião alheia, querer sempre o contato com o público”, comenta.
- E por isso aceitei de imediato o convite do presidente da AIC, Vitor Menezes, para comentar o filme ‘Jejum de amor’ no mês de outubro sobre jornalismo. Ouvir e se expor, pois com esses aspectos desenvolvemos, penso eu, nossa capacidade mágica de interpretar, apesar do engessamento nosso de cada dia em função dos prazos para ontem, das fórmulas, dos interesses ou mesmo da falta de interesse. Às vezes, somos mais peões que pensadores – considera a jornalista.
As três últimas edições do Cine Jornalismo este ano terão mulheres como comentadoras. Em setembro, comentou a jornalista Claudia Alcântara, editora do jornal online “Terceira Via”.  Neste mês de outubro vai comentar a jornalista Talita Barros, repórter da editoria de Cultura do Jornal “Folha da Manhã”. E em novembro, comentará a jornalista Katiana Rodrigues. Em março, a jornalista Cláudia Eleonora, que é diretora da AIC, já havia comentado.
O presidente da AIC, Vitor Menezes, comenta sobre este fato. "Não foi proposital, mas é muito oportuno, pois reflete a realidade de uma categoria que crescentemente tem a participação feminina. As mulheres, em muitas redações, formam a maior parte da equipe. Há uma pesquisa sobre o perfil do jornalista, ainda em curso, que deve confirmar o dado de que esta já uma realidade nacional, com mais jornalistas mulheres do que homens em todo o País".
Este ano, a AIC apoiou a Marcha das Vadias em Campos, movimento feminista que reúne mulheres em todo o mundo. Atualmente, a AIC tem em sua diretoria três mulheres de um total de 12 diretores, o que representa 25% do corpo administrativo da instituição. Em tempos em que a cidade reelege uma prefeita e o país tem uma presidenta, a expectativa é que um dia a AIC também tenha uma mulher como representante maior da tradicional e quase centenária instituição.
Serviço                                      
Cine Jornalismo AIC
Data: Hoje (Sábado, 27-10-2012)
Horário: 16 horas
Filme: “Jejum de Amor” (dir. Howard Hawks, EUA, 1940, 92 min.)
Comentadora: Talita Barros
Endereço: Rua Tenente Coronel Cardoso, 460, Centro, Campos dos Goytacazes (RJ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget