domingo, 26 de julho de 2009

Nota pública

Entidades em defesa do jornalismo

As entidades e instituições que assinam esta nota pública manifestam conjuntamente apoio às iniciativas na Câmara dos Deputados Federais e no Senado Federal que buscam, por meio de Projeto de Emenda Constitucional (PEC), restabelecer a formação superior em jornalismo como pré-requisito obrigatório para o exercício da profissão.

Nos últimos quarenta anos, em que esteve em vigor antes de ser inconsequentemente derrubada pelo Supremo Tribunal Federal, a obrigatoriedade do diploma de jornalismo estimulou a qualificação dos vocacionados para a área e promoveu inegável melhoria na imprensa e nas áreas afins ao jornalismo, como assessorias de comunicação e ensino nos cursos de comunicação.

A suspensão da exigência da formação superior em jornalismo, especialmente nas cidades do interior do país, promove ainda mais precarização das relações de trabalho para jornalistas e reduz a possibilidade de que a categoria tenha condições de manter-se vigilante, dentro e fora das empresas jornalísticas, na defesa do exercício ético da profissão.

A esta altura do debate, em que parece estar suficientemente claro que a premissa do ministro Gilmar Mendes para a extinção da exigência do diploma, por ele caracterizada como obstáculo à liberdade de expressão, não se sustenta, as entidades e instituições abaixo se unem aos cerca de 80 mil jornalistas brasileiros na luta pela reversão deste lamentável quadro e em defesa desta profissão indispensável para a democracia.


Campos dos Goytacazes, 26 de julho de 2009


Curso de Comunicação do UNIFLU-FAFIC

Associação de Imprensa Campista


Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro



[Nota publicada hoje em jornais campistas pelo Uniflu-Fafic]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget